• Maringá: (44) 3029-1162

  • Dourados: (67) 3033-8862

Conhecimento tácito: Conheça os detalhes deste conceito

Como nós, seres humanos, adquirimos, absorvemos e utilizamos o nosso conhecimento no dia a dia? Essa é uma das perguntas mais interessantes do mundo. O conceito de conhecimento tácito, que veremos a seguir, consegue responder de forma satisfatória esta questão e ainda abre uma brecha importante para refletirmos os papéis das empresas no processo de aquisição de conhecimento entre seus colaboradores.

Este artigo vai se debruçar sobre o conceito de conhecimento tácito, importante dentro da gestão do conhecimento, mostrando o seu significado, sua importância, e analisando como as empresas poderiam utilizar de uma forma mais eficiente esta perspectiva de aquisição de conhecimento.

 Conhecimento tácito


A gestão do conhecimento possui uma importância muito grande para empresas que buscam competitividade no mercado. Colocar em prática ações que capacitem seus funcionários, e principalmente, que ofereçam e incentivem a busca por conhecimento, é um dos diferenciais observados no mundo corporativo.

Nesse sentido, o conhecimento tácito possui um relevante papel. 

Ele pode ser definido como o conhecimento que adquirimos através da experiência, através do modo como interagimos com as coisas e buscamos compreender o universo e seus milhões de detalhes.

Origem do termo tácito


Pensando na sua etimologia, o termo tácito vem da palavra em latim tacitus, que significa "não expresso por palavras". Ou seja, é aquele conhecimento que não consegue ser adquirido através de treinamentos teóricos.

Os professores Ikujiro Nonaka e Hirotaka Takeuchi, no livro Criação de conhecimento na empresa (p.66), afirma que o conhecimento tácito tem uma natureza que constitui
"algo puramente pessoal e profundamente enraizado nas ações, experiências, valores, ideais ou mesmo emoções de cada pessoa, difícil de formalizar e ele é criado em um contexto prático específico".

Ou seja, o conhecimento tácito é, por um lado, uma experiência muito mais rica e produtiva de aquisição de conhecimento, e por outro, uma experiência mais individualizada e mais difícil de ser compartilhada. Para uma empresa, isso acaba sendo um problema, já que ela acaba não transformando o conhecimento individual de seus colaboradores em conhecimento coletivo em prol da empresa.

Conhecimento tácito x conhecimento explícito


A gestão do conhecimento não trabalha somente com o conceito de tácito, muito pelo contrário. Para que a gente consiga entender sua função de forma mais clara é importante que entendamos também a definição de conhecimento explícito.

O conhecimento explícito se contrapõe ao tácito e é todo aquele conhecimento que adquirimos de forma direta, por conta de informações, documentos, livros, manuais, guias, dentre outros elementos.

É um conhecimento de fácil compartilhamento, pois ele pode ser alojado em um pedaço de papel, ou em uma aula bem didática.

Assim, o conhecimento explícito pode vir de:

  • Melhores práticas;

  • Políticas;

  • Procedimentos;

  • Documentos;

  • Informações

Já o conhecimento tácito é resultado de:

  • Experiências e vivências particulares

Numa empresa o conhecimento explícito é utilizado para criar normas e indicar as formas de conduta de seus colaboradores, melhorando a produtividade, as relações interpessoais, a comunicação e toda a gestão corporativa.

O conhecimento tácito, entretanto, acaba sendo consequência da experiência individualizada de cada funcionário dentro da empresa, suas vivências, o modo como ele lidou com os problemas, como os solucionou e como corrigir erros do dia a dia.

Como transformar o conhecimento tácito em conhecimento explícito?


Desta forma, observamos de imediato um grande desafio que as empresas possuem dentro da gestão do conhecimento: como transformar o conhecimento tácito em conhecimento explícito?

Este é um dos desafios que transformam empresas medianas em empresas vencedoras. 

Vamos imaginar um colaborador que em 10 anos de empresa agregou muito conhecimento sobre todos os processos existentes no ambiente de trabalho, adquiriu um conhecimento profundo sobre a dinâmica de produção e sobre o modo como aquela empresa gerencia suas ações. 

Ele tem um conhecimento muito amplo sobre a empresa, adquirida a partir de sua experiência, ou seja, através do conhecimento tácito. 

Qual o grande problema? 

Bem, o seu conhecimento não foi compartilhado com a empresa e com os seus colaboradores.

Vamos imaginar que este funcionário receba uma proposta de emprego da concorrência, muito melhor que seus benefícios atuais, e ele aceite. Em algumas horas ele vai transportar todo seu know how, todo o seu conhecimento aprofundado, toda sua expertise, para outra empresa, deixando a sua atual órfã de todo aquele conhecimento necessário para aperfeiçoar sua produção e para aperfeiçoar as dinâmicas de trabalho.

Desta forma, se mostra como um dos maiores desafios de uma empresa transformar os conhecimentos tácitos de seus colaboradores em processos colaborativos, que sejam compartilhados por todos na equipe.

Para que isso aconteça, é preciso muito mais que manuais, ou que documentos com normas, já que estas ferramentas limitam bastante o conhecimento, deixando o funcionário com a opção de fazer somente o que está no manual.

Para transformar conhecimento tácito em explícito é importante que empresas invistam em treinamentos e capacitações diferenciadas, aprofundadas, e particularizadas. Dinâmicas assim são mais ricas para compartilhamento de conhecimentos estratégicos dentro de uma empresa.

Conhecimento tácito e conhecimento explícito se completam


Por mais que estas duas abordagens de conhecimentos sejam opostas, elas também são complementares e devem andar juntas numa mesma jornada de busca por conhecimento.

Numa empresa, que é o nosso foco, estes dois tipos de conhecimentos devem ser desenvolvidos e incentivados. De nada adianta ter uma equipe focada somente em repassar o conhecimento adquirido através dos manuais de conduta ou da lista de normas ou regras. 

É importante que a empresa incentive que seus colaboradores adquiram conhecimento através de suas experiências, que estejam prontos para ganharem a cada dia mais conhecimentos individualizados, a ganhar o que chamamos de know how, tão importante para o sucesso profissional de uma pessoa, bem como de uma empresa.

Conhecimento tácito e explícito nas empresas


Sabemos que num ambiente de trabalho é muito importante ter uma equipe formada por pessoas que consigam aprender diariamente coisas novas, que consigam aprender com os próprios erros, e que adquiram experiências e habilidades durante suas jornadas.

Assim, a empresa deve sempre oferecer treinamentos e capacitações, que são os modos mais diretos e eficazes para compartilhar o conhecimento explícito, mas também ela deve estimular e incentivar os seus colaboradores a adquirirem conhecimento tácito dentro de sua jornada pessoal.

O desafio de implementar o conhecimento tácito compartilhado

Mas não adianta uma empresa possuir colaboradores ricos em conhecimento se estes mesmos conhecimentos não puderem ser replicados para toda a equipe. Assim, vem à tona novamente o maior desafio das empresas, que é colocar em prática ações de compartilhamento do conhecimento tácito.

Por ser baseado em experiências particulares, é realmente um desafio para uma empresa sistematizar o compartilhamento deste tipo de conhecimento. Tende a não ser eficiente ou inteligente sistematizar o conhecimento tácito de uma empresa, colocando, por exemplo, em um banco de dados.

Porém, a dinâmica de capacitação em grupos pequenos, como em duplas, pode acabar tendo o efeito desejado com resultados mais ricos. Um novo funcionário, por observação, vai conseguir receber todo o conhecimento necessário para desenvolver um trabalho mais rico e produtivo que se ele tivesse somente assistido uma palestra ou uma aula teórica.

A gestão do conhecimento é a chave para o sucesso


A chave para que uma empresa consiga gerar de modo sistemático o conhecimento tácito é através de uma eficiente gestão do conhecimento. Investir nesse setor só irá mostrar o quanto seus gestores se importam com o crescimento pessoal e profissional de cada um dos seus colaboradores.

É fundamental criar um ambiente de trabalho rico e saudável, que proporcione compartilhamento contínuo de conhecimento entre seus funcionários, e que crie de forma natural uma cultura do compartilhamento de conhecimento tácito. Promover sistematicamente trabalhos em grupos transforma experiências individuais em jornadas mais coletivas, trazendo benefícios bem visíveis para a empresa.

Conclusão

Entender o conceito de conhecimento para depois implantar dentro do dia a dia do ambiente de trabalho de uma empresa. Esta é a lógica de ouro que produzirá equipes eficientes, gestões capacitadas e empresas bem sucedidas. 

Você já pensou em colocar isso em prática?

Acesse nosso blog e confira outros conteúdos como este.


Compartilhe:

Posts Relacionados

Ver Categoria >